Boavista, 1956


Joaquim Filipe Nogueira, em Ferrari 735S, pouco antes da partida para a corrida em que sofreria um dos mais graves acidentes da sua carreira. Aconteceu em 1956, durante o II Grande Prémio do Porto, prova que seria ganha pelo Marquês de Portago, com o qual Filipe Nogueira travou um duelo épico até acabar por bater no lancil de um passeio, o que provocou o desastre. Apesar do aparato, o piloto português não sofreu lesões graves e o carro, por seu lado, viria mais tarde a ser recuperado.

Sem comentários:

Enviar um comentário